Polímero promete por fim em telas de celular quebradas

Embora a gente já escute esse tipo de promessa há tempos, de telas inquebráveis e que se regeneram, o resultado desse tipo de tecnologia costuma ficar abaixo das nossas expectativas. Mas recentemente um grupo de pesquisadores japoneses conseguiu dar os passos certos em direção a essa descoberta. Eles criaram um polímero que, após trincado, exige apenas um pouco de pressão para voltar ao seu estado original.

O mais interessante de tudo é que o projeto dos “Polímeros mecanicamente robustos e prontamente reparáveis através de reticulação não covalente adaptada” foi iniciado por acaso, seu objetivo inicial era outro.

De acordo com o The Guardian, Yu Yanagisawa, um estudante da Universidade de Tóquio, estava trabalhando em um material novo que poderia fazer papel de uma cola natural e acabou se deparando com uma propriedade bem interessante do item: pontas cortadas poderiam ser juntadas novamente quando se pressionava ambas as partes com os dedos, a uma temperatura de pelo menos 21º C. Isso foi o suficiente para que a brincadeira tomasse novos rumos.

Chamado de “polyether-thioureas” , esse polímero que, visualmente é igual ao vidro, é diferente de praticamente todos os outros materiais desse tipo com capacidades regenerativas. A alta resistência e regeneração costumam ser duas características mutuamente exclusivas. Mas além disso, quando se fala de reparo por calor, geralmente é necessário aquecer o item a mais de 120º C para que ele consiga rearranjar sua malha, não no caso desse polímero.

Porém, como toda pesquisa científica, ainda não há data para uma versão final do material ou qualquer agenda para sua viabilização comercial. Mesmo assim, não deixa de ser ótimo pensar que, no futuro, quando o seu celular cair e rachar toda a tela, basta fazer pressão nela com a palma da mão para que o aparelho fique intacto novamente.

Deixe o seu comentário