GTA: The Trilogy: veja comparação dos jogos clássicos com remasterizações


GTA Trilogy foi lançado na última quinta (11) com versões remasterizadas de GTA 3, GTA Vice City e GTA San Andreas. Os games chegam para consoles Nintendo Switch, PlayStation 4 (PS4), PlayStation 5 (PS5), Xbox One, Xbox Series S/X e PCs, mas não têm sido bem recebidos. A reedição vem sendo criticada por alterações no visual dos jogos, gráficos de má qualidade, performance ruim, além de bugs variados.

Com nota agregada de apenas 0,5 no Metacritic, os três títulos têm virado fonte para memes e críticas ao trabalho da Rockstar, que parece ter chegado ao mercado longe de estar pronto. O TechTudo separou as principais mudanças entre a versão original e o novo pacote que reúne os três jogos.

Em relação à jogabilidade, pouco muda: os três jogos conservam a mesma noção de mundo aberto que tornou a série famosa, com pontos de interesse espalhados pelo mapa e missões que progridem a história. Controlar veículos para transitar pelo cenário, ou simplesmente instituir o caos, continua um dos grandes apelos da trilogia clássica.

O que melhorou com o trabalho de remasterização foi a aplicação de padrões de controles mais modernos, em linha com o que uma geração mais jovem está acostumada. Usando o mesmo padrão de botões de GTA 5, os três clássicos agora ficaram mais fáceis de controlar, tornando tiroteios menos irritantes pela imprecisão e facilitando o controle em missões mais desafiadoras.

As remasterizações dos três jogos foram realizadas com um processo que equilibrou o visual original dos games com melhorias para deixa-los mais apresentáveis em telas de alta resolução, como televisores e monitores 4K.

O resultado pode ser subjetivo: há quem goste dos visuais com jeitão de cartoon por conta das melhorias nas texturas, ganhos expressivos em qualidade de iluminação e animações mais suaves. Do outro lado, usuários reclamam das alterações profundas e que descaracterizam os games.

Independentemente da sua preferência, existe a impressão de que pouco cuidado foi tomado com os modelos 3D que aparecem nos games. Além disso, a presença de muitos bugs atrapalham a experiência de usuário.

Um exemplo é a chuva, que tem rendido infinitos memes por conta do efeito de má qualidade. A tempestade continua, mesmo embaixo de um abrigo, tornando ineficiente ficar em qualquer proteção. Esse mesmo efeito de chuva descaracterizou também as primeiras cenas de GTA 3, modificação que desagradou muita gente.

Há outras modificações que também não são muito populares, como a remoção completa da névoa sobre San Andreas. As alterações revelam o mapa todo do jogo à distância em cenas que descaracterizam completamente a memória de quem curtiu o game com aeronaves e não podia enxergar em detalhes pontos distantes do mapa.

No entanto, talvez o maior problema gráfico esteja nos modelos que representam os personagens. É como se, em vez de terem ganho mais detalhe e resolução, os modelos tenham passado por um processo de suavização para reduzir cantos e arestas pronunciadas, gerando personagens muito arredondados e com jeitão de bonecos de plástico. Em San Andreas, os resultados são ainda mais polêmicos, com figuras deformadas e estranhas.

Jogos da série GTA trazem músicas de artistas reais nas estações de rádio acessíveis ao jogador e, geralmente, os acordos de cessão dessas faixas estão sujeitos a prazos: quando vence o contrato, a trilha precisa ser removida e não pode ser relançada numa nova versão do game.

No caso da nova trilogia, todas as faixas que faziam parte das edições mais recentes – lançadas para celulares – foram preservadas. O lado positivo nisso é que GTA 3, Vice City e San Andreas não perderam nenhum conteúdo na comparação com as versões atuais de PC e smartphones.

O lado ruim é que algumas músicas que haviam sido removidas dos catálogos dos três jogos não foram restauradas. Em GTA 3, são 56 músicas removidas, incluindo títulos como “Rush, Rush” de Debbie Harry, “Scarface Push it to the Limit” de Paul Engemann ou “She’s on Fire” de Amy Holland.

Em Vice City, são mais de 80 músicas, considerando sucessos dos anos 1980 de bandas como Iron Maiden, Tears For Fears, Roxy Music e mais. Já em San Andreas, são mais de 100 músicas de artistas de vários estilos.

Uma das maiores reclamações é o valor de R$ 299 nos consoles, ainda mais associado aos gráficos problemáticos, bugs e a sensação de que as modificações foram profundas demais nos clássicos. No Metacritic, um site que agrega pontuação do público e da crítica especializada e fornece notas médias para games, GTA Trilogy tem resultado agregado de 0,5.

Comentários disponíveis na plataforma dão uma ideia da irritação dos jogadores. Alguns reclamam das mudanças realizadas no game, enfatizando os problemas gráficos. Outros simplesmente esperavam mais: havia uma expectativa de que GTA Trilogy seria um remake profundo e com nível de qualidade na linha dos lançamentos recentes do estúdio.

No momento, o pacote de três jogos segue à venda nas lojas dos consoles, mas sua comercialização foi interrompida nos PCs – a Rockstar alegou a necessidade de remover arquivos indesejados incluídos nos games.

Com toda a irritação e polêmica em torno da trilogia, um grande número de jogadores vêm buscando ressarcimento nas lojas digitais de Sony, Microsoft e Nintendo, ou mesmo e devolução de suas cópias físicas, como é possível ver nas mensagens publicadas no Twitter.

Não é fácil chegar a uma conclusão a respeito de GTA Trilogy. Em alguns aspectos e momentos, os três jogos parecem mais novos e as modificações conferem um ar de maior qualidade gráfica aos cenários, assim como à ação que se passa na tela. As novas técnicas de iluminação aprimoram vários momentos de GTA 3, fazem Vice City mais vibrante, assim como novas texturas acentuam uma série de detalhes em San Andreas.

Nesses instantes, dá para descontar algo que pareça meio fora do lugar – afinal, são games bem antigos e o processo de remasterização não foi intenso a ponto de recriá-los do zero. Além disso, a revisão dos controles é muito bem-vinda e transforma positivamente os três GTAs que padeciam de controles arcaicos e bem mais imprecisos.

No entanto, a sensação de conforto passa imediatamente quando algo realmente fora do lugar ganha espaço na tela (o efeito esquisito de chuva e a presença bugs em vários momentos, por exemplo). Além disso, o título apresenta personagens com modelagem bizarra, cheios de superfícies curvas e refletindo luz como se fossem de plástico.

Temos ainda a remoção da névoa sobre San Andreas e a eliminação de efeitos de desfoque em cenas. Algumas dessas características são mudanças drásticas demais que, se por um lado não podem ser categorizadas como ruins, por outro vão diretamente de encontro com a estética e o que todo mundo lembra – ou espera – dos três GTAs do PlayStation 2 (PS2).

A impressão que fica de um contato com os três jogos – especialmente se você lembra bem das versões originais – é que o processo de remasterização poderia ter demorado um pouco mais de tempo para corrigir falhas como texturas desalinhadas ou efeitos problemáticos. Problemas de performance em nossas 12 horas com os três jogos foram encontrados no PlayStation 5 (PS5), seja rodando no perfil de qualidade ou no de performance.

Como são games antigos e pouco exigentes, não há uma boa explicação do por quê de apresentarem quedas no FPS em consoles de nova geração, mais uma vez indicando necessidade de um prazo maior para testes e otimização.

Bugs gráficos são aceitáveis porque há uma expectativa de que possam ser corrigidos, e você pode aprender a conviver com eles até que updates cheguem. Já os travamentos do tipo que congelam o console ou PC e fecham o game em seguida não podem ser relevados, sobretudo se forem constantes.

Há relatos na Internet de travamentos frequentes com os três games nos consoles de alguns usuários. Na nossa experiência, tivemos congelamento de tela e fechamento automático dos jogos apenas testando a versão Vice City do PS4 no PS5. De qualquer forma, apesar da expectativa, é inegável que os recorrentes problemas acabam tornando a gameplay algo menos agradável do que se esperava.

Com informações de GameRantGameSpotKotakuDigitalFoundryEurogamerMetacritic e ScreenRant