13 Particularidades humanas surpreendentes descobertas pelos cientistas


O ser humano é muito multíplice, e, por vezes, o comportamento das pessoas pode ser complicado e inexplicável. Muitas vezes não conseguimos entender um ao outro ou até a nós mesmos e a nossas próprias ações. Veja inferior algumas explicações científicas muito interessantes para comportamentos humanos estranhos que nos ajudarão a entender melhor a nós mesmos e aos outros.

1 – O silêncio pretexto estranheza

Os cientistas descobriram que 4 segundos é o suficiente para o silêncio incomodar. Isso está ligado ao nosso pânico de querer pertencer a um grupo social e se sentir aceito. Se todos ficarem calados, começamos a nos sentir inseguros e permanecer com pânico de que o status social se torne instável. Por outro lado, se a conversa é bastante animada, nos sentimos importantes. Psicólogos não recomendam aditar pausas a uma conversa. É melhor desvendar o motivo de todos estarem em silêncio.

2 – Lavar as mãos reduz a incerteza

Para a maioria das pessoas, é um repto tomar decisões e tendemos a hesitar muito. Lavar as mãos contribui para a “limpeza” física e moral. Quando lavamos nossas mãos, quaisquer dúvidas que tenhamos são levadas pela chuva. Psicólogos da Universidade de Michigan afirmam que nossos cérebros tratam as mãos lavadas porquê uma maneira de nos libertar e ter a chance de um novo prelúdios, preocupando-nos menos com os erros do pretérito, por exemplo.

3 – Muitas pessoas têm espasmos enquanto dormem

De combinação com estudos, 60% – 70% das pessoas têm espasmos enquanto estão dormindo. Cientistas afirmam que os espasmos musculares involuntários são causados por estresse, impaciência, fadiga, cafeína ou atividade física intensa. Aliás, há uma teoria popular baseada em uma teoria evolucionista. Nossos ancestrais costumavam dormir nas árvores e quando começaram a adormecer, o cérebro enviava sinais ao sistema nervoso para não deixá-los tombar.

4 – Dedos enrugados

O enrugamento em nossos dedos das mãos e dos pés é causado por vasos sanguíneos que se comprimem inferior da pele. Diferentes estudos mostram que dedos enrugados melhoram nossa aderência em objetos molhados ou submersos. Os cientistas supõem que dedos enrugados podem ter ajudado nossos ancestrais a coletarem provisões em vegetações úmidas.

5 – O riso inadequado mostra nosso desamparo

Algumas pessoas não conseguem deixar de rir em momentos inapropriados. Isso não tem relação com o tino de humor. O riso inadequado geralmente revela nossa insuficiência e tensão emocional. Se uma pessoa não puder deixar de rir depois de uma tragédia, isso não significa que ela seja fria, é somente um sintoma de estresse.

6 – As pessoas tendem a mentir menos pela manhã

Os cientistas afirmam que nossa tendência para sermos honestos diminui durante o dia. Pessoas honestas, com uma possante consciência moral e bom autocontrole, cansam-se à noite e o nível de honestidade diminui. É por isso que os especialistas recomendam que reuniões importantes sejam marcadas para a primeira metade do dia, e não na segmento da tarde.

7 – Pessoas gostam de psicopatas

Pode parecer estranho, mas é uma veras. Psicopatas não se importam com as normas sociais, são agressivos, cruéis e impulsivos e não têm empatia com as pessoas ao seu volta. No entanto, eles são capazes de nos atrair. Uma teoria afirma que os psicopatas despertam nossos instintos animalescos e nos conectam ao nosso bicho interno. É muito difícil identificar um psicopata porque eles se escondem detrás de uma máscara encantadora. Mas há um recurso que pode extraditá-los: por pretexto de sua falta de empatia, eles não bocejam depois que alguém o faz.

8 –  A fofoca nos ajuda a evitar o risco

A fofoca nos ajuda a entender quem são nossos amigos e inimigos. Nos tempos primitivos, as pessoas viviam em pequenos grupos e precisavam saber quem eram seus potenciais rivais e infratores. E a fofoca era a maneira mais fácil de desvendar isso. Hoje em dia, a fofoca é vista porquê antiética e pode magoar os sentimentos de alguém.

9 – Movimentar nossos olhos nos ajuda a lembrar as coisas

Já reparou que quando tentamos recordar um pouco, movemos nossos olhos em um patente ponto? Quando tentamos recordar um pouco, movemos nossos olhos no mesmo padrão em que nos movemos quando tentamos manter a informação em mente. Mas alguns cientistas não concordam com essa teoria. Eles alegam que, quando você tenta se lembrar de alguma coisa, basta desviar o olhar para focar sua atenção no problema. Seja qual for o motivo, movimentar nossos olhos realmente nos ajuda a restaurar informações importantes.

10 – As pessoas evitam trocar o rolo de papel higiênico

Tentemos a evitar tarefas chatas ao longo do dia. Fazemos um pouco se consideramos interessante e reptador ou se queremos conseguir certos resultados. Teremos o libido de mourejar com uma tarefa se ela atender a três necessidades psicológicas: conhecimento, autonomia e relacionamento. E não há zero de significativo em mudar o rolo de papel higiênico.

11 – Fofura motiva nosso comportamento melindroso

Muita gente acha que crianças pequenas são realmente fofas e a razão para isso é muito simples: evolução. As crianças nascem extremamente desamparadas e os pais precisam cuidar delas por anos. Para manter nossa atenção, nosso cérebro nos pretexto sentimentos de zelo e consideração. O pesquisador Konrad Lorenz definiu o termo “esquema do bebê”, que inclui várias características físicas: olhos grandes, bochechas rechonchudas e uma cabeça grande.

12 – Arrepios são um mecanismo de resguardo do pretérito

O psicólogo George Bubenik, da Universidade de Guelph, em Ontário, explica que arrepios são um fenômeno fisiológico herdado de nossos ancestrais animais. Arrepios podem ter sido úteis para eles, mas eles não são de nenhuma ajuda para nós. Eles são causados por uma contração de pequenos músculos que estão ligados a cada fio de cabelo da nossa pele. A contração faz com que nossos cabelos fiquem de pé sempre que nosso corpo estiver indiferente. As pessoas também tendem a sentir arrepios durante situações emocionais. A razão para esta resposta é de uma liberação subconsciente do hormônio do estresse, a adrenalina.

13 – Sensações áticas influenciam nosso comportamento

Sensações áticas podem influenciar nosso comportamento. Podemos testar sentimentos de valia e crédito ou pânico e fraqueza, dependendo do que o nosso corpo sente literalmente. Por exemplo, se uma pessoa toca um pouco indiferente, ela se sente solitária; se toca em um pouco forte, começa a pensar em relacionamentos complicados.

Manadeira: Genial Guru

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *